ESPAÇO DO LEITOR

Questionamento:

Sou de um Centro que os médiuns eram pessoas altamente respeitáveis, que tinham um mentor por nome DORICO por 35 anos, mas o centro sempre se encontrava com poucas pessoas.

Um dia ao chamar outro centro para averígua o nosso centro esse informou que o mentor não era aquele, foi uma catástrofe e ante se existiam algumas desavenças agora o centro se dividia em dois grupos. Ficamos meio como… “?” sem mentor.

Resolveram trabalhar com fluidoterapia e montaram a equipe, aonde quem chega com Aalgum problema já é logo admitido na mediúnica, no passe.

A casa encheu, é claro, passamos de 15 para 70 pessoas, assim todos parece bem com um amigo chamado “TOQUI”, que responde a qualquer chamado, onde atende quem chega sem que os assistidos precisem de doutrinaria ou fazer trabalho na casa.

A turma não vai a reuniões de doutrinaria, nem participa de reunião de vibração, nem campanha do quilo, se reúnem para beber álcool, se chamam de modernos e nós os dinossauros.

Sou adepta do Programa “Auta de Souza”. Não sei se vcs conhecem. E percebo UM QUÊ ruim na casa, a casa pra me às vezes tem um cheiro fétido, que me assombra e a vibração da casa um tanto pesada.

Fui a outra casa me sentir muito bem. Pareço não sintonizar, mas com a casa que me ensinou tanto e agora a mentora é KAMILA. E nas mediúnicas aparece até “Maria a mãe de Jesus” dando comunicação. Estou prestes a dá um tempo na casa, tendo em vista não estar me sentindo bem.

Quando converso com o presidente a resposta é: a Casa está cheia!

Está tudo bem, mas, eu não percebo esse bem.

O responsável pelo fluidoterapia faz o que o espirito manda ex. aceita criança de 7 anos transitando na sala de tratamento, fala muito em “Maria Modesto” e parece tem como exemplo um hospital presidido por ela.

Quando li seu livro de como também queriam mudanças, me deu vontade de conversar com vc. Afinal sou adepta a mudanças. Mas com ordem e com maturidade. Me indique algum livro que eu possa lê e me orientar e qual decisão tomar porque pela minha vontade já estaria longe do centro. Ou aguardo amadurecerem orando ao senhor.

Agradeço por me ouvir.

LUDMILA

Resposta:

Cara LUDMILA,

Vivemos um momento muito impar, em que a alteridade, o respeito às diferenças é um ótimo conselheiro.

Há diversas necessidades e há ambientes adequados para cada tipo de necessidade, ou seja, não há “ certo” ou “ errado”

Porque o que não serve para A por vezes atende perfeitamente à necessidade de B. A junção do novo e do velho é sempre uma benção do movimento de renovação em todas as dimensões da vida.

Quando não estamos mais nos ajustando aos lugares, precisamos procurar olhar noutra direção, e essa direção é a que o Mestre nos apontou: a via interior, a do autoconhecimento. Não o autoconhecimento de superfície, mas sim aquela disposição para aceitar os nossos próprios defeitos….o mundo e os ambientes serão sempre o que são, o que muda não é o lugar ou o outro e sim o MODO como olhamos para aquele lugar ou aquele outro….o famoso “conhecereis a verdade e ela te libertara” nada mais é do que “conheça o que te causa incomodo para saber qual dificuldade sua se esconde ali” . A melhor dica que temos para isso é: sempre que algo te incomodar, alí tem algo em você que precisa ser “descoberto”. E nesse ponto, estar em ambientes e com pessoas das quais discordamos é uma benção, porque os incômodos se apresentam e podemos então reconhecer suas origens.

 

O espiritismo é uma das vias, e não a única. A Doutrina espírita é uma benção, mas o movimento dos espíritas é tão somente o reflexo dos homens com todas as suas imperfeições, então não é mudando de centro que iremos nos encontrar e sim mudando a nossa visão sobre nos mesmos, abrindo mão dos nossos apegos e vícios de estarmos certos ou sermos modelos.

Eu não saberia te indicar um lugar ideal, porque não acredito que ele exista. No Inede nós somos desorganizados, temos problemas, muitos, até mesmo porque não estamos priorizando a resolução dos problemas e sim interessados na obra de consertar a nós mesmos e por isso a instituição é um autentico canteiro de obras, e como todo, tem desordem.

Há sim muitos, inúmeros livros sobre isso dentro e fora do espiritismo:

Laços de Afeto, Reforma Intima sem Martírio, ambos da Ermance Dufaux, Auto amor de Joana de Angelis, Amar e ser Amado do SRI PREM BABA, O evangelho (Novo Testamento mesmo), Obras de Pietro Ubaldi….

Espero que encontre a paz em seu coração.

Fátima Ferreira

 

 

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado.

top